segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Reunião de Grupo de Jovens

Esse texto não é meu e não sei citar a fonte, recebi uma cópia em algum encontro de formação, pois estavam junto com alguns materiais que estava me desfazendo. Mas achei interessante e para não perder resolvi postar aqui.

Muitas vezes quando ouvimos falar de reunião já imaginamos um momento cansativo, cheio de discussões, coisas que não tem nada haver com a gente. Isso não é verdade, nem deixa de ser mentira; depende da atenção que damos na preparação dela.
Imagine-se chegando numa festa onde você é um dos homenageados, mas não sabe o que vão fazer. Você espera uma grande surpresa e, quando chega lá... a surpresa: Falta preparar as mesas, ainda estão correndo com as bebidas, um dos garçons quebrou alguns copos e com eles cortou-se saindo correndo para um hospital, nem todos foram devidamente e por isso não estarão na festa para lhe homenagear. Você chegou e logo da de cara com um faxineiro te pedindo para entrar e, se quiser comer alguma coisa, ir até a cozinha que estão fritando umas coxinhas. Finalmente, chega o anfitrião te pedindo desculpas pelos transtornos e iniciando a festa depois de duas horas de atraso. Após 30 minutos sem saber o que estava acontecendo, você resolve perguntar para que ou para quem era aquela festa e quase ninguém soube a resposta até chegar o anfitrião que lhe diz: “Meu caro amigo, estávamos querendo festar mas não tinha nenhuma razão para isso então, resolvemos arranjar uma que é a homenagem 'a você”. Você, ainda ansioso, pergunta: “ Mas me diga qual é a homenagem? E rapidamente vem a resposta: “ Ora ainda não sabe? A homenagem a você é a própria festa. Parabéns!!! Porque não sei, mas parabéns!!!.

Nossas reuniões podem ser muito bem comparadas como uma festa. E quando lembramos desta palavra o som soa diferente, nada de coisas cansativas, discussões, coisas que não tem nada haver com a gente, será?

É claro que se saber prepara-las a coisa muda de figura. Assim como uma festa, uma boa reunião precisa, também, de uma boa preparação.

Por isso, sugerimos que haja algumas partes importantes na reunião para que ela não seja um desastre:

INTRODUÇÃO
Acolhida
Memória do encontro anterior
A pauta da reunião com tema e objetivo

Quando alguém chega numa festa espera ser bem recebido. Na estória acima, você só ficou na festa porque seria homenageado, havia um interessa maior, do contrário já teria arrumado um jeito de ter saído bem antes. Se você se lembrasse que seus companheiros não tinham motivo para festar e usaram você para isto, sua reação seria bem diferente, talvez nem fosse a festa. E da mesma forma em relação ao objetivo ou porquê da festa.

Perceba a importância dos detalhes. Quando se prepara uma reunião nunca é pensado em você, mas quem virá para o encontro.

DESENVOLVIMENTO DO TEMA

Dinâmicas
Debates
Jogos
Leituras

Esse é o miolo da reunião. É a hora de trabalhar o tema sem perder o rumo (objetivo). Seja criativo, alegre, amigo, interessado pelos outros (líder). Use todos os materiais possíveis. Saiba que têm pessoas que aprendem melhor vendo, outras ouvindo e outras sentindo, apalpando. Faça uso da comunicação assim como numa festa.

PALAVRA DE DEUS

Como temos algo em comum, sendo jovens cristãos, não podemos perder a oportunidade de vivenciar estas cosias. Nada melhor para isso que ouvir a palavra de Nosso Pai. É muito bom saber que o que estamos falando na reunião também possa ser dito por Deus através da sua Palavra seja na Bíblia Sagrada, Folhetos de Missa, textos de jornais de formação cristã, não importa; o importante é também ouvir o que Deus pensa, só assim permitimos que ele esteja do nosso lado e fica mais fácil aproveitar para pedir algum favorzinho e, se preciso, algumas desculpas.

ORAÇÃO

Por falar em desculpas, a melhor hora para isso é através da oração. Vivenciamos aí a partilha da essência. Todos podem se manifestar para um dialogo em família, Pai e filhos. É momento de os abri para Deus, para os irmãos, não apenas abrir, mas estar aberto para dar e receber, perdoar e ser perdoado, pedir e cumprir.

GESTO CONCRETO

Falando em cumprir, que tal assumir um compromisso, um gesto concreto. Depois de vivenciar, partilhar, participar da reunião acabamos nos tornando diferentes, aprendemos alguma coisa a mais e, para não esquecer ou deixar de lado é bom praticar. De nada vale para você que acabou de aprender andar de bicicleta se não continuar treinando. Se não treinarmos atrofia. È tempo perdido ficar horas e horas, levando tombos e mais tombos, de baixo do sol forte e da chuva se a partir de amanhã você resolve nunca mais andar de bicicleta porque cansa e preferir somente andar de carro ou carregado pelos outros. Se um dia você resolver andar de bicicleta, mesmo que canse, talvez terá que passar por tudo de novo.

Por isso é importante o gesto concreto. È uma forma de nos disciplinar. Praticar o que aprendemos para, depois de bem treinados, fazer tudo muito mais fácil que hoje e poder, amanhã, aprender mais, sempre mais

CONCLUSÃO

A conclusão é o resumo da experiência vivida na reunião. Gosto de chamar a conclusão como a semente e o gesto concreto os frutos. È como se você que esta lendo essas folhas lê-se, agora, que tudo isso que esta escrito é para lhe ajudar a preparar uma reunião. Exatamente, ela dá uma resolução final. A partir de agora você tem uma frase chave “ajudar a preparar a reunião” Isto nos ajuda a memorizar o que foi lido, e se tesourei você, é bom dizer-lhe que não parou por aí:

Que mensagem você pode tirar disto?
Quando será a próxima reunião?
Quem serão os responsáveis por ela?
Onde será a próxima reunião?
Como será que deverá estar o lugar da reunião? Com faixas? No escuro com velas?
Quando? Onde? Como? Quem? São coisas que devem ser pensadas e vistas com antecedência. Não se pode concluir algo que não acabou ali. Semana que vem tem mais.

Para terminar (concluir)

Outra comparação: Veja como a reunião como um plantio de uma árvore:

A Preparação da reunião é a escolha do tipo de semente
A Introdução é a preparação da terra
O desenvolvimento do tema é manusear a semente
A Palavra de Deus é o manual de plantio da semente
A Oração é a interpretação do manual de plantio da semente
A Conclusão é a própria semente
O Gesto Concreto os frutos da árvore.

Observação: Não existe uma sequência correta para esses momentos na reunião. Pela prática, só inicia uma reunião pela introdução, os demais pontos podem ser facultativos. Depende do objetivo, do tema e da criatividade de cada um.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário